Serviços

O volume de serviços no Espírito Santo cresceu +0,9% na comparação interanual. Já contra o mês imediatamente anterior houve uma retração de -1,2%, na série com ajuste sazonal.

De acordo com a Pesquisa Mensal de Serviços (PMS) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o volume de serviços no Espírito Santo recuou -1,2% em setembro de 2023 na comparação com o mês imediatamente anterior, na série dessazonalizada. Com isso, o Espírito Santo registrou o 8º pior desempenho entre as unidades da Federação (UFs), juntamente com São Paulo. Esse resultado ficou abaixo da média nacional de -0,3%, nessa base de comparação. Já na comparação interanual, houve crescimento de +0,9%, resultado superior ao do país (-1,2%), posicionando o estado na 16ª colocação no ranking das UFs.

Duas das cinco atividades pesquisadas no Espírito Santo tiveram crescimento no volume de serviços na comparação interanual: Serviços profissionais, administrativos e complementares (+7,3%) e Transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio (+4,6%). Em contrapartida, Outros serviços (-9,9%), Serviços de informação e comunicação (-6,8%) e Serviços prestados às famílias (-3,7%) foram os segmentos que apresentaram retração nessa base de comparação.

O volume de serviços capixabas no acumulado no ano subiu em três dos cinco segmentos, resultando em um acréscimo de +7,6% e superando a variação de +3,4% verificada no Brasil. Por sua vez, no acumulado em 12 meses também houve crescimento de +7,6%, com aumento em quatro das cinco atividades, enquanto no Brasil a expansão foi de +4,4%.

Em setembro de 2023, a receita nominal de serviços no Espírito Santo permaneceu estável (+0,1%) na comparação com o mês imediatamente anterior com ajuste sazonal. Na comparação interanual, houve crescimento de +4,9% influenciado por três das cinco atividades averiguadas: Serviços profissionais, administrativos e complementares (+11,7%); Serviços prestados às famílias (+6,3%); e Transportes, serviços auxiliares aos transportes de correio (+5,8%). Por outro lado, os recuos vieram de Outros serviços (-5,1%) e Serviços de informação e comunicação (-0,1%). No acumulado no ano e no acumulado em 12 meses, a receita nominal de serviços aumentou, respectivamente, +9,0% e +9,9%, com expansão nos cinco segmentos examinados, em ambos os casos.

O volume das atividades turísticas, medido pelo Índice de Atividades Turísticas – IATUR, apresentou declínio de -1,0% no confronto com o mês imediatamente anterior, na série com ajuste sazonal, enquanto na comparação interanual houve um incremento de +2,6%. Contudo, no acumulado no ano e no acumulado em 12 meses, ocorreram avanços de, respectivamente, +3,5% e +4,4%. Nas mesmas bases de comparação, a receita nominal das atividades turísticas apresentou variações de -0,3% frente ao mês imediatamente anterior, +3,1% na comparação interanual, +10,0% no acumulado no ano e +12,0% no acumulado em 12 meses.

    2015 / Desenvolvido pelo PRODEST utilizando o software livre Orchard