Emprego Formal

Em abril de 2024, foram criados +8.167 postos de trabalho com carteira assinada no Espírito Santo. Tal desempenho foi decorrente do resultado positivo obtido em todos os setores, com destaque para o setor de Agropecuária (+3.665). O saldo acumulado no ano é de 22.207 vínculos e em 12 meses é de +41.049 vínculos.

De acordo com os dados divulgados pelo Ministério do Trabalho e Emprego, por meio do Novo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Novo CAGED), em abril de 2024 foram criados +8.167 postos de trabalho celetistas no Espírito Santo, o equivalente a um aumento de +0,92% do estoque de empregos, com relação ao mês anterior. No acumulado do ano foram criados +22.207 vínculos e em 12 meses, +41.049 vínculos formais no Espírito Santo.

Na análise da geração de empregos nos últimos 13 meses (Gráfico 1), o mês de abril de 2024 apresentou saldo de empregos superior ao resultado do mesmo período de 2023 (+5.748). Ademais, na série histórica com ajuste de dados fora do prazo, a exceção do mês de dezembro de 2023 (-6.790), os resultados foram majoritariamente positivos, tendo o resultado positivo mais expressivo da série histórica ocorrido no mês de maio de 2023 (+13.583).

Dentre as atividades econômicas do Espírito Santo, mostradas na Tabela 2, os cinco setores elencados apresentaram desempenho positivo na geração de empregos: Agricultura, pecuária, produção florestal, pesca e aquicultura (+3.665), Indústria Geral (+988), Construção (+746), Comércio; reparação de veículos automotores e motocicletas (+827) e Serviços (+1.939). No Brasil, também houve crescimento nos cinco setores: Agricultura, pecuária, produção florestal, pesca e aquicultura (+6.576), Indústria Geral (+35.990), Construção (+31.893), Comércio; reparação de veículos automotores e motocicletas (+27.272) e Serviços (+138.309).

No Espírito Santo, o setor de Serviços apresentou saldo positivo em cinco dos seis subsetores (Serviços domésticos ficou estável), com destaque em Informação, comunicação e atividades financeiras, imobiliárias, profissionais e administrativas, com o crescimento de +813 vínculos. No setor de Indústria Geral, todos os subsetores tiveram resultados positivos: Indústria Extrativa (+92), Indústria de Transformação (+832), Eletricidade e Gás (+4) e Água, Esgoto, Atividades de Gestão de Resíduos e Descontaminação (+60) (Tabela 2).
Quanto ao Brasil, no setor de Serviços, os seis subsetores variaram positivamente. Com destaque para o subsetor de Informação, comunicação e atividades financeiras, imobiliárias, profissionais e administrativas, com o crescimento de +61.096 vínculos. No setor da Indústria Geral, também houveram resultados positivos em todos os subsetores, com destaque na Indústria da Transformação (+31.675).

Em abril de 2024, apenas 2 das 27 Unidades da Federação (UFs) apresentaram variação negativa de vínculos formais: Pernambuco (-0,08%) e Alagoas (-0,37%). O Espírito Santo (+0,92%) ficou em 3o lugar, fazendo parte do grupo de unidades da federação que obtiveram variação positiva e ficaram acima da média brasileira (+0,52%). Por outro lado, o Acre (+1,20%) obteve o melhor desempenho neste mês.

Entre os municípios capixabas com mais de 30.000 habitantes, os melhores desempenhos do saldo líquido, ocorreram em Serra (+1.143), Linhares (+863) e Jaguaré (+799). Por outro lado, as maiores perdas de vínculos, em abril de 2024, aconteceram em Domingos Martins (-18), Guaçuí (-22) e Colatina (-62).

    2015 / Desenvolvido pelo PRODEST utilizando o software livre Orchard