Construção Civil

O índice da construção civil no Espírito Santo, calculado pelo SINAPI-ES apresentou queda (-0,05%) entre os meses de janeiro de 2024 e dezembro 2023. No acumulado dos últimos 12 meses, contra igual período anterior, o índice avançou +2,83%. O CUB-ES registrou variação de +0,10%, comparado a dezembro de 2023, e aumento de +5,15% em relação aos últimos 12 meses.

A variação mensal do custo médio por metro quadrado da construção civil no Espírito Santo, medido pelo SINAPI-ES, apresentou queda (-0,05%) no mês de janeiro de 2024, em relação a dezembro de 2023, com montante de R$ 1.578,04 por m². Com esse resultado o estado ocupa a 27ª posição no ranking nacional calculado pelo SINAPI-ES, em janeiro de 2024, com variação inferior à média brasileira (+0,19%) no período.

Em relação ao acumulado nos últimos 12 meses, os custos da construção civil no Espírito Santo, calculados pelo SINAPI-ES registraram elevação de +2,83% no período. Nessa base de comparação, a variação estadual foi superior à registrada no Brasil (+2,43%) e região Sudeste (+1,09%).

Em relação aos componentes do índice SINAPI-ES, em janeiro de 2024, o custo mensal com os materiais utilizados na construção civil apresentou redução (-0,08%) na comparação com o mês anterior, enquanto que a variação em 12 meses cresceu +1,04%. Para o CUB-ES, o desempenho do componente materiais apresentou aumento de +0,03% comparado a dezembro de 2023, e crescimento de +1,55% nos últimos 12 meses. Em relação aos custos da mão de obra, o índice SINAPI-ES apresentou estabilidade (0,00%) em janeiro de 2024, quando comparado ao mês anterior, e aumento de +5,60% em 12 meses. No CUB-ES, o custo da mão de obra também apresentou estabilidade (0,00%) na variação mensal e em 12 meses, manteve variação positiva de +9,72%.

Na composição dos custos medidos pelo SINAPI-ES em janeiro de 2024, o componente material apresentou participação de 59,78% e a mão de obra de 40,22%. Os mesmos componentes levantados para o CUB-ES registraram participações de 52,51% para materiais e 43,39% para mão de obra, no período (Tabela 2). Na análise dos índices de custos e de valorização imobiliária dos últimos 12 meses, o índice SINAPI-ES registrou 102,83 pontos, enquanto o CUB-ES 105,15 pontos no período.

    2015 / Desenvolvido pelo PRODEST utilizando o software livre Orchard