Pagina Principal Artigos

Balanca Comercial PreliminarApós três meses consecutivos de quedas, o comércio exterior capixaba registrou crescimento de +34,01% em março de 2020 frente ao mês imediatamente anterior.

 

A Diretoria do Instituto Jones dos Santos Neves (IJSN) passou por alterações nesta quarta-feira (01). O diretor-presidente do órgão, Luiz Paulo Vellozo Lucas, deixou o cargo à pedido, e o então Diretor de Integração e Projetos Especiais, Pablo Lira, passa a responder pela presidência do instituto.

Lira é bacharel e licenciado em Geografia com aperfeiçoamento em Planejamento Urbano pela Université de Cergy-Pontoise (França), mestre em Arquitetura e Urbanismo, e doutor em Geografia. Servidor da carreira de Especialista em Estudos e Pesquisas Governamentais do IJSN desde 2010, também exerceu as funções de Coordenador de Estudos Territoriais e Diretor de Estudos e Pesquisas. É especialista em segurança e membro pesquisador do Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP).

Na Diretoria de Estudos e Pesquisas, que era ocupada pela economista Júnia Maria Barroso Santa Rosa, assume a arquiteta e urbanista, mestre em Urbanismo e doutora em Planejamento Urbano e Regional, Latussa Bianca Laranja Monteiro. Com experiência na área de Arquitetura e Urbanismo, com ênfase em Projetos Urbanos em Favelas, Planejamento e Projeto do Espaço Urbano, atua em temas como planejamento urbano, integração metropolitana, revitalização, habitação social e metropolização. Servidora de carreira do IJSN, Latussa é Especialista em Estudos e Pesquisas Governamentais desde 2010, coordenou a elaboração do Plano de Desenvolvimento Urbano Integrado (PDUI) da Região Metropolitana da Grande Vitória e, desde 2018, atuava como coordenadora de Apoio à Gestão Metropolitana no IJSN.

Servicos PMSEm janeiro de 2019 o volume de serviços no Espírito Santo caiu -3,2%, na comparação interanual, enquanto no indicador acumulado em 12 meses houve alta de +0,8%.

 

Os dados constam no Indicador Trimestral de PIB referente ao 4º Trimestre de 2019.

 

O Produto Interno Bruto (PIB) do Espírito Santo registrou estabilidade, apresentando variação nula (0,0%) no acumulado de 2019, quando comparado ao ano anterior. A principal contribuição negativa foi da Indústria, que recuou -15,7% no período, compensada pelas altas no Comércio Varejista Ampliado (+5,2%) e no setor de Serviços (+1,0%).

Os dados constam no Indicador Trimestral de PIB referente ao 4º Trimestre de 2019, apresentados nesta quinta-feira (26) pelo Instituto Jones dos Santos Neves (IJSN), em live no Instagram. Trata-se de uma estimativa de PIB calculada trimestralmente pelo IJSN, de modo a anteceder o PIB anual, cujos resultados apresentam defasagem de dois anos. O cálculo do PIB Estadual é realizado em parceria com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A atividade econômica capixaba ficou praticamente estável no 4º trimestre de 2019 em todas as medidas de desempenho consideradas. Nas comparações que abrangem um horizonte de tempo mais curto, o PIB estadual registrou uma ligeira retração, com taxa de -0,4% na comparação com o mesmo trimestre do ano anterior e -0,3% no confronto entre trimestres consecutivos. Os resultados seguiram a tendência do 3º trimestre de 2019, que acumulava variação de +0,1% acumulado no ano.

PIB 4Tri 2019 Luiz Paulo

“Entre os fatores que contribuíram para este resultado podemos citar os desdobramentos e o efeito do rompimento barragem de Brumadinho, no começo do ano, que contribuiu para a queda da indústria, a reestruturação empresarial no setor de celulose e a queda do preço, além da maturação dos campos de petróleo. Mas por outro lado, temos resultados que contribuíram para elevar o crescimento do Estado, como o comércio, serviços e a construção civil”, destacou o diretor-presidente do IJSN, Luiz Paulo Vellozo Lucas.

Tanto a Indústria Extrativa quanto a de Transformação registraram quedas de -21,1% e -10,3%, respectivamente. De outro lado, a contribuição positiva do Comércio varejista ampliado (+5,2%) foi puxada pelo crescimento no Varejo restrito (4,7%) e por Veículos, motocicletas, partes e peças (+7,9%). Nos Serviços, a alta de +1,0% no ano foi decorrente dos Serviços prestados às famílias (+6,9%) e Transportes, serviços auxiliares aos transportes e correios (+3,4%). Já na Agricultura, cinco das principais culturas capixabas apresentaram retração, e as outras cinco, expansão: Café Conilon (+8,1%), Café Arábica (-31,7%), Pimenta-do-reino (+4,0%), Tomate (-3,1%), Banana (-1,2%), Mamão (+13,8%), Cana-de-açúcar (-10,0%), Cacau (+7,1%), Coco (-2,6%) e Abacaxi (+9,3%).

Com os resultados, a estimativa do PIB nominal do Estado do Espírito Santo no quarto trimestre de 2019, em valores correntes, foi de R$ 30,9 bilhões. Em valores acumulados dos últimos quatro trimestres, o PIB nominal totalizou R$ 124,3 bilhões, maior valor da série histórica.

PIB 4Tri 2019 Rogelio Pegoretti

O secretário de Estado da Fazenda, Rogelio Pegoretti, também participou da transmissão ao vivo, apresentando os resultados fiscais de 2019 no Espírito Santo, relacionando-os com a estabilidade do PIB. 

"Apesar do PIB estável, o Estado encerrou 2019 com um resultado fiscal superando as expectativas, apresentando crescimento na arrecadação, com destaque para o crescimento de 11,3% de arrecadação de ICMS, o que representa um desenvolvimento real na economia capixaba naquele ano", disse.

Panorama Econômico

PIB 4Tri 2019 Antonio

O IJSN divulgou ainda o Panorama Econômico com o desempenho dos indicadores setoriais registrados para o quarto trimestre de 2019, bem como para o ano de 2019. No documento é apresentada uma análise detalhada dos movimentos econômicos captados pelo PIB Trimestral, além de dados do Comércio Exterior, Inflação e Mercado de Trabalho.

Em relação ao comércio exterior capixaba, as exportações mantiveram estabilidade (-0,46%) no acumulado do ano, devido à exportação da plataforma de petróleo no terceiro trimestre, enquanto as importações registraram alta de +24,7%, o que levou ao crescimento de +8,6% do comércio exterior capixaba em 2019 comparativamente a 2018.

Os Estados Unidos fecharam o ano de 2019 como principal destino das exportações capixabas (27,87% de participação). Os Países Baixos ficaram em segundo lugar, devido à exportação da plataforma de petróleo (21,61%). A China ficou na terceira posição com 5,75% do total. Pelo lado das importações, a China e os Estados Unidos mantiveram-se no topo, com 18,48% e 15,58%, respectivamente.

As exportações do agronegócio capixaba alcançaram US$ 316,6 milhões no quarto trimestre de 2019, redução de -15,3% em relação ao trimestre anterior, decorrente das vendas de café (-18,0%) e celulose (-12,9%). Os principais produtos exportados no trimestre foram café em grão (41,6%), celulose (41,0%) e pimenta (3,7%). A participação das exportações do agronegócio no total exportado pelo Estado no trimestre atingiu 18,8%.

A Agricultura capixaba, que contribuiu fortemente para o crescimento do PIB em 2018, teve no café conilon o principal produto da agricultura capixaba, que respondeu por 48,2% do valor de produção capixaba em 2018, fechando 2019 com produção +8,1% superior à de 2018 e crescimento de +0,6% na área. O bom desempenho da cultura deveu-se, em grande parte, ao clima favorável nos municípios produtores na época de florada. Para o arábica, a produção em 2019 apresentou queda na produção (-31,7%), devido à bienalidade dessa cultura.

Em relação ao mercado de trabalho, que apresentou resultados positivos em todas as bases de comparação, observa-se um desempenho positivo, com saldo de +16.293 empregos no ano de 2019, fortemente influenciado pelos setores de Serviços (+9.895), Comércio (+3.929) e Construção Civil (+1.347). Os setores que apresentaram queda foram Agropecuária (-302) e Administração Pública (-104). Importante ressaltar que esses dados não computam as declarações recebidas fora do prazo.

O documento registra ainda a elevação da massa de rendimento em 2019, reflexo principalmente do aumento do número de ocupados com rendimento, uma vez que o rendimento médio cresceu. No fechamento do resultado do ano, verifica-se que o crescimento da média anual de pessoas ocupadas em 2019 quando comparadas a 2018 foi puxado pelo crescimento no número de trabalhadores por conta própria sem CNPJ (+21 mil pessoas), seguido por conta própria com CNPJ (+19 mil) e empregados no setor privado com carteira de trabalho assinada (+11 mil).

A desocupação capixaba reduziu e a taxa de informalidade média anual no Espírito Santo, estimada em 41,6% em 2019, registrou redução na comparação com a média de 2018, quando foi de 42,2%. Tal resultado mostra que, diferentemente da maior parte do país (20 UF’s), o crescimento da ocupação no Espírito Santo não está sendo sustentado pelo aumento na informalidade.

A inflação no quarto trimestre na Região Metropolitana da Grande (RMGV) ficou em +1,5% (abaixo do Brasil que ficou em +1,8%), influenciada principalmente pelo grupo Alimentação e bebidas (+3,7%) e Transportes (+2,4%). No acumulado em quatro trimestres e do ano, a inflação atingiu 3,3% na RMGV (abaixo do Brasil que ficou em 4,3%) e abaixo do centro da meta estabelecida para a inflação brasileira no ano (4,25%). Influenciaram nessa base de comparação e ficaram acima do índice geral: Alimentação e bebidas (+7,0%), Saúde e cuidados pessoais (+4,9%), Despesas pessoais e Educação (+3,4%).

Veja o relatório do Indicador Trimestral de PIB do Espírito Santo – 4º Trimestre de 2019

Leia a íntegra do Panorama Econômico 2019  

 

Informações à Imprensa:
Assessoria de Comunicação do IJSN
Larissa Linhalis
(27) 3636-8066 / 99892-5291
comunicacao@ijsn.es.gov.br

Assessoria de Comunicação da Sefaz
Alexandre Lemos
(27) 3347-5128 / (27) 99883-2836
alexandre.junior@sefaz.es.gov.br

Fotos: Assessoria de Comunicação/Sefaz