Pagina Principal Artigos

Nota TécnicaEm novembro de 2007 o Instituto Jones dos Santos Neves (IJSN) divulgou, em parceria com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e demais órgãos estaduais de estatística e planejamento, a nova série do Produto Interno Bruto (PIB) do estado do Espírito Santo, tendo como referência o ano 2002. Naquela oportunidade os dados divulgados referiam-se à série construída para o período 2002-2005, dentro da nova metodologia das Contas Regionais.

A relevância do trabalho está no preenchimento da lacuna de informações econômicas em caráter oficial, padronizadas e comparáveis, com recortes estaduais e municipais. São recorrentes as demandas por esse tipo de informação para: a construção de indicadores; a formulação de políticas públicas; as definições estratégicas dos agentes privados e estudos sobre a dinâmica dos desequilíbrios regionais que caracterizam a economia brasileira.

O presente documento visa avaliar e destacar as principais alterações metodológicas da nova série. Nessa perspectiva, traça a trajetória recente do crescimento econômico capixaba, com destaque para seus condicionantes externos, domésticos e locais, e analisa os resultados do PIB estadual para o período 2002-2006. A nova série será posteriormente retropolada até o ano de 1995, permitindo uma análise de longo prazo da evolução das economias estaduais.

Nota TécnicaA FGV-Projetos divulgou no mês de abril, em caráter preliminar, resultados do Índice de desenvolvimento socioeconômico – IDSE - para os estados brasileiros e o Distrito Federal. O estudo foi coordenado pelo Professor Fernando Blumenschein e ainda se encontra em fase de conclusão.


Algumas observações são possíveis, a partir dos resultados preliminares. O objetivo desta Nota é apresentar uma breve revisão dos conceitos do estudo e dos dados produzidos para o estado do Espírito Santo, gentilmente cedidos pela Fundação Getúlio Vargas.

Panorama EconomicoNeste segundo número, serão apresentados os desdobramentos da crise nos contextos internacional e nacional, e derivados os possíveis impactos para a economia do Espírito Santo. Alguns desses impactos já podem ser observados por meio de diversos indicadores de conjuntura aqui analisados.

Para o estado do Espírito Santo, o ritmo do crescimento mundial será importante direcionador para o seu próprio processo de crescimento e recuperação. Somente com a recuperação mundial, os preços de commodities poderão aumentar, assim como rentabilidade das empresas locais, a ocupação da capacidade ociosa, e o retorno dos investimentos produtivos e o reaquecimento do mercado de trabalho.

Resenha Veículos NovosEm abril, 11.530 veículos novos foram vendidos no Espírito Santo. O crescimento de 60,58% em relação ao mesmo mês de 2007 foi significativamente superior à média nacional (+36,50%), com destaque para os segmentos de motos (+92,12%) e de automóveis de passeio (+45,03%). No acumulado do ano, o crescimento das vendas foi de 36,51% em relação ao mesmo período de 2007.
Resenha Comércio VarejistaO volume de vendas no comércio varejista do Espírito Santo registrou aumento de 9,6% no mês de março, em relação ao mesmo mês de 2007. No primeiro trimestre do ano, a variação foi de 10,4%. No varejo ampliado, o Estado obteve o melhor desempenho do país: +17,4% no mês de março e +21,8% no primeiro trimestre do ano, com destaque para Veículos, motos, partes e peças.