Pagina Principal Artigos IJSN recebe lançamento do Índice de Qualidade do Emprego Formal no Espírito Santo

IJSN recebe lançamento do Índice de Qualidade do Emprego Formal no Espírito Santo

O indicador aponta a qualidade do emprego formal nos 78 municípios capixabas e foi desenvolvido pelo Observatório do Desenvolvimento Capixaba 

WhatsApp Image 2019 11 14 at 12.56.23 1 

O Instituto Jones dos Santos Neves (IJSN) recebeu, na manhã desta quarta-feira (13), o evento de lançamento do Índice de Qualidade do Emprego Formal no Espírito Santo (IQEF-ES). O indicador aponta a qualidade do emprego formal nos 78 municípios capixabas no período de 2006 a 2017 e foi desenvolvido pelo Observatório do Desenvolvimento Capixaba, um grupo de pesquisa composto por docentes do Campus Cariacica do Instituto Federal do Espírito Santo (Ifes) e da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes).

O IQEF-ES tem como base os dados da Relação Anual de Informações Sociais (Rais) e do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), ambos do Ministério da Economia (antigo Ministério do Trabalho e Emprego). O indicador varia de 0 a 1, sendo que, quanto mais próximo a 1, melhor é a qualidade do emprego formal e, quanto mais próximo a 0, pior é a qualidade do emprego formal na localidade.

O índice é composto por três dimensões, são elas: 1) Econômica – em que são considerados critérios de crescimento do emprego, da renda e o tipo de vínculo empregatício; 2) Oportunidades – que considera a participação da mulher no mercado formal de trabalho, o acesso ao primeiro emprego e oportunidades de emprego aos jovens; e 3) Sofisticação – medida pela escolaridade do trabalhador, o grau de competência às funções formais de trabalho e a participação das atividades industriais, chamadas de “encadeadoras” no trabalho formal capixaba. 

WhatsApp Image 2019 11 14 at 12.56.23

A apresentação da metodologia e dos resultados do IQEF-ES foi feita pelos professores Ednilson Felipe (Ufes) e Érika Leal (Ifes). Ednilson destacou que o indicador “fecha uma lacuna da ausência de dados em nível municipal sobre o tema, além de trazer um olhar qualitativo, e não apenas quantitativo, ao mercado de trabalho formal capixaba”. 

Os resultados foram apresentados ainda em nível microrregional. Neste recorte, “é possível perceber que o mercado formal das microrregiões capixabas, que se distingue em termos quantitativos, se aproxima muito em qualidade”, pontuou Érika Leal.“A crise econômica aproximou as microrregiões no quesito qualidade do emprego formal. Entretanto, as regiões com maior dinamismo econômico foram mais impactadas, como é o caso da Metropolitana”, afirmou. Entre os resultados, destaque positivo para a dimensão “Sofisticação”, puxada especialmente pelo ganho na escolaridade do trabalhador. Já a dimensão “Oportunidades” teve queda global, com exceção da participação das mulheres no mercado, que cresceu em todas as microrregiões. 

WhatsApp Image 2019 11 14 at 12.56.23 3

O diretor-presidente do IJSN, Luiz Paulo Vellozo Lucas, comemorou o resultado apresentado.  “O índice capta situações e movimentos importantes, que precisam ser levados em consideração nas nossas avaliações, e tem total convergência com os trabalhos que estão sendo desenvolvidos pelo Instituto Jones no âmbito do projeto de Desenvolvimento Regional Sustentável do Estado. Nos ajudará, e muito, na construção desse olhar regionalizado, para que o Estado responda a esses resultados com políticas públicas assertivas”, destacou.

O Diretor do Ifes Campus Cariacica, professor Lodovico Ortlieb Faria, falou sobre a importância da pesquisa e da soma de esforços em torno do tema, na busca pelo bem comum aos capixabas. “Enxergamos no estudo uma oportunidade de criar um mecanismo que funcione como um repositório de informações georeferenciadas, com um olhar na regionalização, de modo que possam ser feitas melhores análises dos dados e, por consequência, o aprimoramento das práticas de gestão”, ressaltou.

Segundo o chefe do Departamento de Economia da Ufes, professor Celso Bissoli, a dinâmica do mercado de trabalho reflete diretamente o estágio de desenvolvimento econômico e social alcançado por uma região. “As limitações estatísticas e a carência de estudos sobre o tema, especialmente em relação ao Espírito Santo, mostram o espaço que ainda precisa ser preenchido se quisermos conhecer melhor a realidade de nossa população. O IQEF-ES é uma importante iniciativa, fruto de parcerias entre instituições comprometidas com o desenvolvimento capixaba, para avançar nas discussões sobre o mercado de trabalho e subsidiar decisões que podem melhorar a qualidade do emprego formal no estado”, apontou o professor.

Presente no evento, o secretário de Estado de Economia e Planejamento, Álvaro Duboc, parabenizou as equipes da UFES e do IFES pela construção do IQEF-ES e comentou sobre a importância de se converter o equilíbrio fiscal conquistado pelo Espírito Santo na última década em ganhos reais e melhoria da qualidade de vida dos capixabas. 

WhatsApp Image 2019 11 14 at 12.56.23 2

“O Estado do Espirito Santo desenvolveu na última década uma cultura de gestão fiscal eficiente, e chegou a hora de converter esse ativo em dinamismo econômico e desenvolvimento social. É preciso tornar isso algo palpável para o cidadão. É nesse sentido que o governador Renato Casagrande tem orientado os trabalhos do Governo do Estado:  para que possamos atrair novos negócios e diversificar a economia do Espírito Santo gerando emprego e renda para os capixabas”.

Clique aqui e acesse os dados apresentados no evento. 

A pesquisa completa deve ser acessada no site do Observatório do Desenvolvimento Capixaba (http://desenvolvimentocapixaba.net/).

 

Informações à Imprensa:
Assessoria de Comunicação do IJSN
Larissa Linhalis
(27) 3636-8066 / 99892-5291
comunicacao@ijsn.es.gov.br

Anexos

Conteúdo Atualização Tamanho  
Apresentação do Índice de Qualidade do Emprego Formal   13/11/2019 18:42 781 kB Fazer download deste arquivo (Apresentacao_Indice_de_Qualidade_do_Emprego_Formal.pdf)