PIB Trimestral - 3º Trimestre de 2017

PIB Trimestral2

PIB capixaba cresce 1,7% no acumulado do ano

Comparação é com o mesmo período do ano passado

 

O Produto Interno Bruto (PIB) capixaba registrou crescimento de +1,7% no acumulado do ano e obteve o melhor resultado dos últimos nove períodos. Houve ainda um aumento de +3% no terceiro trimestre deste ano frente ao mesmo período de 2016. É o segundo resultado positivo neste tipo de comparação. No indicador acumulado em 12 meses, o resultado voltou a ser positivo após sete períodos de queda. No confronto do terceiro trimestre de 2017 com o trimestre anterior, houve queda de -1% na produção econômica, revertendo a trajetória de crescimento iniciada no quarto trimestre de 2016. Em valores nominais, a estimativa de PIB do Espírito Santo alcançou a cifra de R$ 30,3 bilhões no terceiro trimestre de 2017, totalizando em valores acumulados em quatro trimestres R$ 119,5 bilhões.

 

Desempenho dos Setores

Na agricultura, após a crise hídrica que impactou a produção no Estado, houve recuperação de algumas das principais lavouras. Os maiores avanços foram na produção de café conilon (+18,5%), banana (+23,4%), pimenta-do-reino (+191,3%), mamão (+16,1%). Por outro lado, tiveram um desempenho negativo as lavouras de café arábica (-15,4%), impactada devido à bienalidade da lavoura. A reversão da Indústria Extrativa para uma trajetória de crescimento a partir do primeiro trimestre de 2017 foi determinante para o desempenho do indicador de PIB estadual. Apesar do recuo de -2,1% no terceiro trimestre de 2017, em comparação com o mesmo período de 2016, puxada pela menor produção de óleos brutos de petróleo, o setor extrativo acumula no ano +3,8% de crescimento. Na Indústria de Transformação, destaque para o crescimento do setor de Fabricação de produtos alimentícios que registrou crescimento de +19,9% no trimestre, em comparação com o mesmo trimestre do ano anterior, e de +14,8% no ano. O volume de vendas do Comércio Varejista Ampliado cresceu +13,3% na comparação com igual período de 2016 e +4,5% no acumulado do ano, influenciado principalmente pelo setor de Veículos, Motocicletas, partes e peças, com taxas de +34,6% e +26,1% respectivamente. Outras atividades que se destacaram positivamente nestes tipos de confronto foram Equipamentos e materiais para escritório, informática e comunicação, com taxas de +46,9% e +20,4%, e Móveis e eletrodomésticos, com taxas de +40,8% e +14,5%. No acumulado em doze meses, o Varejo Ampliado (+0,1%) apresentou estabilidade. No setor de Serviços houve queda nas três medidas de desempenho. Na comparação com o mesmo trimestre do ano anterior, houve queda no volume de Serviços prestados às famílias (-4,2%) e de Serviços de Informação e Comunicação (-0,7%), enquanto as demais atividades do setor registraram crescimento. Nos indicadores acumulados, houve queda nos Serviços prestados às famílias (-11,3% no ano e -11,7% em quatro trimestres) e nos Serviços Profissionais, administrativos e complementares (-7,0% no ano e -14,8% em quatro trimestres), enquanto as demais atividades registraram crescimento nos dois indicadores.

 

Comparação com o Brasil

A economia capixaba registrou desempenho superior ao alcançado pela nacional em três das quatro medidas de desempenho consideradas na pesquisa. A recuperação dos setores agropecuário e industrial, o primeiro em decorrência das melhores condições pluviais no estado e, o segundo, em função de uma base de comparação fraca, explicam em parte, a melhoria do resultado da atividade econômica estadual. Os resultados registrados na série sem ajuste sazonal foram superiores no estado relativamente à economia nacional. Por outro lado, no confronto contra o período imediatamente anterior, na série com ajuste para sazonalidade, a taxa de variação do PIB Estadual foi inferior à brasileira em 1,1 ponto percentual.

 

tabela pibIII2017