IJSN traça perfil da pobreza no Espírito Santo das famílias inscritas no CadÚnico

Perfildapobreza2016No Espírito Santo, em 2015, a taxa de pobreza das pessoas inscritas no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico) foi de 66,5% e a de extrema pobreza foi de 39,0%. E os municípios que apresentaram as dez maiores taxas de pobreza foram: Água Doce do Norte (84,3%), Irupi (83,9%), Ibitirama (83,0%), Muqui (81,3%), Pedro Canário (80,8%), Brejetuba (80,5%), Mantenópolis (79,1%), Guaçuí (78,8%), Sooretama (77,3%), Alto Rio Novo (76,5%). Esses resultados são apresentados no “Perfil da Pobreza no Espírito Santo: famílias inscritas no CadÚnico”, elaborado pelo Instituto Jones dos Santos Neves (IJSN).

O estudo destaca aspectos relevantes das famílias nesta situação como os relacionados aos domicílios, educação e mercado de trabalho, além de indicadores como o Índice de Desenvolvimento da Família - IDF e o Índice de Gestão Descentralizada Municipal – IGD-M, importantes ferramentas para aferir o desenvolvimento da família e a qualidade da gestão do CadÚnico.

Alguns números importantes:

Domicílio: 20,7% das famílias cadastradas vivem em área rural, enquanto 79,3% delas vivem em área urbana; 99,2% das famílias vivem em domicílio particular permanente.

Educação: a taxa de analfabetismo das pessoas de 15 anos ou mais inscritas no Cadastro Único é de 8,9%. A parcela dessa população com o ensino médio completo é de 20,1%.

Mercado de trabalho: 26,6% das pessoas que possuíam 14 anos ou mais de idade estavam ocupadas; 29,2% dos jovens que possuíam entre 15 e 29 anos de idade estavam ocupados. O rendimento médio de todos os trabalhos no Estado foi de R$569,65.

Coleta de lixo e esgotamento sanitário: 14,4% das famílias no CadÚnico não possuem acesso a serviço de coleta de lixo e 24,7% não possuem esgotamento sanitário adequado.

Iluminação: o acesso à iluminação com energia elétrica apresenta resultados positivos, entretanto, o acesso a esse serviço não é feito de forma individualizada (um relógio por família) para uma parcela significativa das famílias (14,4%).

Água canalizada: 96,3% das famílias vivem em domicílios com água canalizada, porém, em algumas Microrregiões o percentual de famílias que ainda não possuem água canalizada é alto: Nordeste (7,6%), Noroeste (6,4%), Central Sul (4,9%), Central Serrana (4,5%) e Caparaó (4,4%). As Microrregiões Sudoeste Serrana e Metropolitana aparecem com os maiores percentuais de atendimento (98,1% e 98,2% respectivamente).

O Espírito Santo possui 363.890 mil famílias cadastradas no CadÚnico.

O documento completo está disponível aqui.