Pagina Principal Artigos

Balanca Comercial PreliminarO comércio exterior capixaba performou em níveis superiores ao brasileiro em novembro de 2019, em todas as bases de comparação: no confronto com o mês imediatamente anterior, enquanto o estado cresceu +5,54%, o país decaiu -13,22%; ante ao mesmo mês de 2018, ocorreu queda no comércio exterior dos dois entes, com a redução brasileira sendo maior (-15,97%) que no estado (-14,91%); no acumulado de janeiro a novembro houve incremento de +10,20% para o Espírito Santo e queda de -4,53% para o Brasil, e no acumulado em 12 meses, foram +9,70% e -3,71%, respectivamente.

Indicadores podem ser acessados em painel interativo no site do IJSN.

PIB municipal 2017 4

A atividade de serviços é o destaque na economia de 53 dos 78 municípios capixabas em 2017, se comparado ao ano anterior. O dado compõe o relatório “Produto Interno Bruto (PIB) dos Municípios do Espírito Santo – 2017”, divulgado nesta sexta-feira (13) pelo Instituto Jones dos Santos Neves (IJSN).

A publicação apresenta os dados oficiais referentes ao PIB dos municípios capixabas, calculados em parceria com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Na ocasião, o IJSN lançou ainda um painel de indicadores interativo, no qual é possível personalizar os filtros de buscas, acessar indicadores regionalizados, séries históricas, além de fazer comparações entre municípios ou microrregiões.

O Produto Interno Bruto do Espírito Santo apresentou variação de +0,5% em termos reais, em comparação com 2016. Em valores correntes, o resultado alcançado foi de R$ 113,4 bilhões. Em termos de PIB per capita, a taxa real foi -0,6%, com o valor de R$ 28.222,56.

O setor terciário é o maior setor da economia estadual e engloba as atividades de ServiçosComércio Administração, defesa, educação e saúde públicas e seguridade social (APU). Treze municípios de diferentes microrregiões do Estado (Vitória, Serra, Vila Velha, Cariacica, Cachoeiro de Itapemirim, Linhares, Colatina, Aracruz, Guarapari, São Mateus, Viana, Itapemirim e Presidente Kennedy) encontram-se na faixa com os maiores valores adicionados no setor terciário (faixa acima de R$ 1 bilhão). Juntos, estes municípios concentram 78,9% da produção do setor.

Já o setor secundárioque tem o segundo maior peso na estrutura do PIB capixaba, está concentrado (68,2%) em apenas sete municípios (Serra, Aracruz, Presidente Kennedy, Vitória, Itapemirim, Linhares e Vila Velha), sendo três pertencentes à Região Metropolitana, dois do Litoral Sul e dois na microrregião Rio Doce. O setor secundário é composto pelas atividades da Indústria Extrativa, de Transformação, Construção Civil e Geração e distribuição de eletricidade e gás, água, esgoto e limpeza urbana (SIUP).

Por outro lado, o setor Primário, que engloba as atividades agrícolas, pecuária, silvicultura e extrativa vegetal, pesca e aquicultura, está pulverizado no território capixaba. Os representantes de maior expressão do setor estão nas regiões Central Serrana e Rio Doce. Santa Maria de Jetibá (com a criação de aves) e Linhares (com produção de café, mamão, cacau, cana-de-açúcar, banana e coco-da-baía) centralizaram os maiores valores adicionados do setor.

Em relação ao PIB per capita, que fornece uma medida do que foi produzido em determinado município em relação a cada habitante, apenas oito municípios superaram o PIB per capita estadual em 2017 (R$ 28.222,56). São eles: Vitória, Serra, Aracruz, Linhares, Santa Maria de Jetibá, Itapemirim, Marataízes e Presidente Kennedy.

 

PIB municipal 2017 1Divisão regional

No recorte das microrregiões, entre os anos de 2008 e 2017, os dados apresentam perda de participação das regiões localizadas na faixa litorânea em detrimento do interior do Estado. Considerando o peso na estrutura do PIB Estadual, a maior retração foi na Região Metropolitana, com 60,4% de participação em 2008 e 55,1% em 2017. Seguida pela microrregião Rio Doce (12,2% em 2008 e 10,8 em 2017); e Litoral Sul, de 9,2% para 9,1%, respectivamente. Esse comportamento foi influenciado, especialmente, pelo movimento da indústria extrativa.

Por outro lado, apresentaram expansão na participação no PIB capixaba as microrregiões “Centro-Oeste, com variação de 3,6% em 2008 para 5,3% em 2017; Central Sul (4,7% em 2008 e 6,3% em 2017); Central Serrana (1,2% em 2008 e 2,2% em 2017); Caparaó (1,6% e 2,5%, respectivamente); e Sudoeste Serrana (1,5% e 2,4%)”. As demais regiões totalizaram 6,3% de participação.

 

PIB municipal 2017 3Painel interativo

Em conjunto com o relatório, o IJSN lançou um painel de indicadores interativo contendo os dados do PIB dos Municípios do Espírito Santo, disponível online no site do IJSN (ACESSE AQUI). A ferramenta garante maior autonomia na manipulação dos dados por pesquisadores, estudantes e pela população capixaba.

Na página na internet, é possível filtrar os dados por município, microrregião ou fazer comparações diversas e criar séries históricas entre os anos de 2002 e 2017.


Acesse o relatório “Produto Interno Bruto (PIB) dos Municípios do Espírito Santo – 2017”:

 


Informações à Imprensa:
Assessoria de Comunicação do IJSN
Larissa Linhalis
(27) 3636-8066 / 99892-5291
comunicacao@ijsn.es.gov.br 

Presi do Forum Bras Seg Publ no IJSN

O presidente do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, Renato Sérgio de Lima, esteve no Instituto Jones dos Santos Neves (IJSN) para conhecer o Observatório da Segurança Cidadã capixaba e elogiou a iniciativa do Governo do Espírito Santo. Executado pelo IJSN, o Observatório tem por objetivo subsidiar ações estratégicas de controle e prevenção à criminalidade.

No âmbito do Programa Estado Presente, o Observatório da Segurança Cidadã constituiu o núcleo que integra dados, informações e conhecimentos sobre a segurança pública, justiça criminal, proteção social e áreas correlatas, propiciando o desenvolvimento de produtos de informações, estudos e pesquisas que articulam as expertises de instituições como a Sesp, PMES, PCES, BMES, Detran, Sejus, Iases, Sedh, Sesa, dentre outros.

O Diretor de Integração e Projetos Especiais do IJSN, Pablo Lira, juntamente com parte da equipe que operacionaliza o projeto no âmbito do instituto, apresentou os resultados das pesquisas já desenvolvidas, como exemplo: as análises das políticas de reintegração do preso e egresso e das políticas de enfrentamento à violência contra as mulheres no ES, além do painel de indicadores interativo, com dados de crimes contra a vida e perfil das vítimas.

“O Observatório é uma iniciativa pioneira que precisa ser disseminada para o país inteiro como uma prática que não só deve ser replicada, como incentivada. O Instituto Jones e o Governo do Espírito Santo estão de parabéns pela iniciativa, pela capacidade de sistematizar e reunir tantas informações numa única plataforma”, elogiou Renato Sérgio de Lima.

Para o diretor do IJSN, Pablo Lira, “foi uma excelente oportunidade receber a presidência do Fórum”. “O Observatório vem contribuindo para o enriquecimento do debate e da produção de conhecimento e informações no campo da segurança pública e áreas correlatas. Ter o reconhecimento do Fórum Brasileiro de Segurança Pública ratifica o projeto como um diferencial do Programa Estado Presente em nível nacional e mostra-se como uma experiência inovadora nos estudos e pesquisas no campo da segurança pública. Neste contexto, o Instituto Jones vem reforçando e consolidando o seu papel de produzir informações para auxiliar a tomada de decisão com base em evidências científicas”, pontuou.

 

Informações à Imprensa:
Assessoria de Comunicação do IJSN
Larissa Linhalis
(27) 3636-8066 / 99892-5291
comunicacao@ijsn.es.gov.br 

 

 

PIB

O Instituto Jones dos Santos Neves (IJSN), em parceria com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e os órgãos estaduais de estatística e planejamento do país, divulga os resultados da série do Produto Interno Bruto (PIB) dos Municípios do estado do Espírito Santo. Com metodologia de cálculo que visa garantir resultados homogêneos, comparáveis entre as Unidades da federação (UF’s) e integrados aos procedimentos do Sistema de Contas Nacionais do Brasil (PIB do Brasil) e Contas Regionais (PIB do estado). Em termos gerais, a construção do PIB dos municípios equivale à estimativa da estrutura de participação de cada município nos valores adicionados estaduais de acordo com critérios específicos para cada atividade econômica. Dessa forma, o PIB dos Municípios indica toda a produção de bens e serviços em determinada localidade em um ano específico, medida em valores monetários.    

 

 

 

Pablo MG Evento BID

O Diretor de Integração e Projetos Especiais do Instituto Jones dos Santos Neves (IJSN), Pablo Lira, apresentou resultados de pesquisas desenvolvidas pelo instituto no XII Seminário Internacional da Rede de Gestão de Resultados em Governos Subnacionais da América Latina e Caribe, em Belo Horizonte (MG).

O evento é uma realização do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), por meio da Comunidade de profissionais e especialistas da América Latina e do Caribe em gestão para resultados de desenvolvimento (CoPLAC-GpRD), e conta com apoio da Fundação João Pinheiro (FJP/MG).

Mais de 40 especialistas, de 14 países da América Latina e Canadá, estiveram envolvidos em três dias de painéis. O evento contou com relatos de experiências de governos estaduais, municipais, de organizações sociais e de agências internacionais, que estão utilizando estudos e pesquisas como base na elaboração e aprimoramento de políticas públicas.

Lira apresentou as pesquisas desenvolvidas no Estado do Espírito Santo, como o exemplo do programa Estado Presente, que já é uma referência nacional, está sendo utilizado como modelo por outros estados e, inclusive, pelo Governo Federal.

“Recebemos feedbacks superpositivos. O Espírito Santo foi uma das referências citadas pelos participantes e organizadores, que reconhecem o quanto o Espírito Santo está avançado no desenvolvimento e na elaboração de políticas públicas com base em dados estatísticos, na tomada de decisão da gestão pública com base em evidências científicas e a relevância do papel do Instituto Jones, que cada vez mais é demandado pelas secretarias e diversas instituições para contribuir no aprimoramento de políticas públicas”, contou.

Ainda entre os exemplos capixabas apresentados estão os resultados da análise executiva da reintegração do preso e do egresso no ES e da análise de impacto do programa Nossa Bolsa. “Inclusive, vale ressaltar que a Fapes (Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Espírito Santo) está utilizando os resultados preliminares da pesquisa do IJSN para modelar e aprimorar o próximo edital do programa Nossa Bolsa. É um claro exemplo de pesquisa aplicada, sendo utilizada para gerar melhores resultados em políticas públicas”, concluiu.

 

Informações à Imprensa:
Assessoria de Comunicação do IJSN
Larissa Linhalis
(27) 3636-8066 / 99892-5291
comunicacao@ijsn.es.gov.br